Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, de 26 a 35 anos



Histórico
 06/04/2008 a 12/04/2008
 19/08/2007 a 25/08/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 06/08/2006 a 12/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 23/07/2006 a 29/07/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 09/07/2006 a 15/07/2006
 02/07/2006 a 08/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 23/04/2006 a 29/04/2006


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Blue Bus
 Jornais pelo Mundo
 Mofolândia
 Cinema
 Blog do Juca
 Bianca Vasques
 Espaço Comum
 Querido Leitor
 Interney
 Pensar Enlouquece
 Blog do PVC
 Caminho Infinito
 Vida de Mulher Honesta
 Qualidade de Vida na Web
 Daniel Nascimento


 
 
Jairo Vieira


Copo meio cheio

Você provavelmente já se deparou com aquele momento onde tudo parece que vai acontecer ao mesmo tempo, sem nenhum aviso. Nessas horas, em quem se apoiar? Existem algumas opções.

A primeira delas é você em seu interior. Acontecendo qualquer coisa, o entendimento e interpretação serão de sua conta. O que quer que haja, sempre vai estar ligado a sua perspectiva. Se você aprendeu que chocolate quente é mais gostoso que frio, sempre terá certo receio em beber a iguaria em baixa temperatura.

Na vida as coisas acontecem dessa forma, nossa perspectiva é que faz o entendimento ser favorável ou não. Por isso sempre vale a pena lembrar-se da história do copo...

Veja sempre o lado favorável dos acontecimentos. Se isso não lhe trouxer resultados práticos, pelo menos emocionalmente você sofrerá bem menos.



Escrito por Jairo Vieira às 20h55
[ ] [ envie esta mensagem ]



Bom Apetite

Por que sempre ter uma postura negativa em relação ao país? Por que tratar questões do país sempre irradiadas de críticas e dados que servem para apontar problemas, defeitos, desconformidades. Isso é gerar mais negatividade.

Devemos tentar (isso é difícil) olhar questões de outra forma. Como apontar sempre para o problema, se o resultado esperado é a solução?

Tenho aprendido que no âmbito profissional somos exigidos por resultados que as corporações gostam de ouvir. É bom receber uma notícia agradável de alguém que está ao nosso lado. Isso motiva e faz bem ao ambiente. Fatores negativos são bons apenas para termos referência de como algo não deve ser feito.

O mesmo recado vale para o ambiente familiar. Pessoas carregadas de reclamações, exigências, problemas e afins, esquecem de observar o lado positivo

Lembro-me de um nutricionista que comentou “O homem é aquilo que ele come” se referindo a pessoas que exageram na gordura e ficam “gordas”. Por que não pensar o mesmo em relação ao nosso caráter? Ou você prefere “ingerir” problemas?

Por isso vamos procurar ser positivos, olhas as barreiras da vida como desafios benévolos, nos quais teremos grandes chances de crescimento e evolução.

Seja mais leve, flexível.... sorria!

E bom apetite!



Escrito por Jairo Vieira às 18h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



Amigo Leitor,

Em primeiro lugar seguem minhas desculpas. Há algum tempo não venho escrevendo nessa coluna por conta de excesso de trabalho.

A mudança de ano na empresa em que atuo, representa mudanças de estratégia, planejamento, análises, viagens e uma série de reuniões que acabam tomando tempo demais.

Acabei ficando comprometido em tempo, mas não deixarei de escrever por aqui (afinal de contas, é um grande prazer compartilhar). Fica aqui meu compromisso de escrever sempre que possível. Começando pelo post a seguir.

Obrigado pelos acessos durante esse período, e fique a vontade para sugestões e críticas.

Abraços a todos!



Escrito por Jairo Vieira às 18h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



Reencontro

 

O reencontro com alguém é algo fantástico.  

 

É uma sensação de muita alegria encontrar alguém que não vemos desde longa data.

 

Dias atrás andando pelo supermercado encontrei um grande amigo que fez parte de minha adolescência, um amigo de meu sobrinho que passou um tempo no Japão. Quando o vi imaginei na hora em escrever sobre isso.

 

Mais do que rever o amigo (ou amiga) e matar a saudade o reencontro nos proporciona uma vital sensação de como a vida é fantástica. Permite-nos imaginar o quanto nossas imagens guardadas na memória são reais. Hoje vejo a coqueluche de saudade dos anos 80 e penso “Puxa vida, tudo que eu vivi realmente não foi imaginação, foi real”.

 

Se uma imagem de algo antigo nos toca, como descrever a sensação de um reencontro pessoal e ainda mais quando é inesperado. Ainda bem que hoje temos uma série de ferramentas tecnológicas que nos permite estar sempre em contato com nossos próximos.

 

Sem dúvida nenhuma achar alguém que fez parte de nossa vida e algo tão revitalizante quanto rejuvenescer e nos dá força para viver intensamente cada momento de nossa vida. Antes que o hoje se torne ontem.

 

Viva, aproveite, sinta, sorria...e  nunca esqueça das raízes passadas que foram o alicerce para você se tornar o que e é hoje!



Escrito por Jairo Vieira às 17h19
[ ] [ envie esta mensagem ]



Consciência Corporativa

 

Tenho visto aqui na empresa uma série de mudanças. Quem acompanha o mercado corporativo contemporâneo já deve estar acostumado com isso.

 

Sempre que uma nova era se inicia, o que mais ouvimos pelos corredores são boatos e história do “porvir”. A maioria delas oriundas de fatos não-concretos, imaginários ou resultado de um encadeamento de idéias mirabolantes criadas por um cérebro criativo.

 

A melhor maneira que encontrei de lidar com isso foi o silêncio. Aprendi que falar algo concreto e dar uma opinião sobre um assunto requer embasamento sobre o mesmo. Que dirá então falar sobre hipóteses e disse me disse nada construtivos...

 

Em situações como essa ficar fora do certame alheio é o melhor a fazer.

 

Trabalho bem feito traz consciência tranqüila. O resto é conseqüência.



Escrito por Jairo Vieira às 17h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Reações

 

Diante de um mundo conturbado temos o posicionamento de nos revoltar. De tornar cada experiência uma luta.

 

Pare e pense. Quantas dessas situações realmente existem? Quantas vezes realmente é preciso enfrentar, brigar, guerrear?

 

Se você estiver num lugar com mais uma pessoa e absolutamente ninguém por perto você acha que existirá agressão física? Mas e se existir alguém por perto e gritar “Ooooorra”? ...Provavelmente o seu sistema de “honra” ficará em alerta e pronto para descarregar adrenalina.

 

O resumo da história é o seguinte: Existem fatores na vida nos quais realmente não temos influência decisória e está nas mãos de Deus (chuva, sol, tempestade, furacões) eles representam 10% dos casos. Os outros 90% são acontecimentos nos quais devemos (e podemos) controlar nosso comportamento. O único dono de nossa verdade somos nós mesmos.

 

Controle unicamente e exclusivamente a sua reação diante dos fatos. Não podemos controlar aquilo que acontece ou que vemos, mas dentro de nós temos algo chamado íntimo. E sobre ele o comando é todo nosso.

 

Aprenda, reflita, interaja, ame, doe, receba...qualquer situação nos faz amadurecer e lidar da melhor forma com nossas reações.

 

Por isso a melhor forma de aprender a lidar com as reações é vivendo! Aproveite cada chance para se tornar alguém melhor. Invista em você e os acontecimentos serão conseqüências e não causas.



Escrito por Jairo Vieira às 08h03
[ ] [ envie esta mensagem ]



Que Efeito?

 

Certo fim de semana desses..

 

Fui até a locadora para pegar um filme qualquer, sem preferência. Peguei a recomendação de um amigo.

 

Que bela recomendação! O filme era interativo, cativante. Do tipo de trama que lhe prende a atenção do início ao fim. Com um final surpreendente. A sensação de “puxa que pena que acabou” foi inevitável.

 

O filme chamava-se “Efeito Borboleta”, fantástico.

 

E então, cerca de dois anos depois, temos uma seqüência! E meu primeiro pensamento: “Esse sim eu não posso perder”, e então fui ver o filme.

 

Decepção.

 

Nem de longe lembrou o antecessor. Frustrante do início ao fim. E mais uma vez ficou provado que o Marketing nem sempre é o que parece. Muito barulho e....

 

Nada...

 

Percam!



Escrito por Jairo Vieira às 16h44
[ ] [ envie esta mensagem ]



Obrigado!

 

Amigos,

 

Estou sem palavras para agradecer o carinho que estou recebendo hoje.

 

É uma data comemorativa muito especial e não poderia passar em branco. Obrigado a todos

 

Esse carinho é fundamental, uma felicidade sem explicação. Que os desejos e votos, alegria e saúde se perpetuem a todos.

 

Abraços.

 



Escrito por Jairo Vieira às 13h43
[ ] [ envie esta mensagem ]



Burocracia

 

Quero de antemão agradecer a Deus por ter uma chance de viver no Brasil.

 

Considero esse país maravilhoso, repleto de pessoas animadas, simpáticas. Um lugar onde podemos fazer amigos, onde estamos revestidos por belezas naturais, paisagens adoráveis entre tantas outras maravilhas.

 

Mas cá entre nós, por que tanta burocracia?

 

Um simples documento pessoal demora alguns dias para ser entregue. Um documento de transferência de automóvel requer outros documentos. Para solicitar um serviço público, mais documentos.

 

A cada minuto, em cada ação que se faz necessária, precisamos provar justificar, mostrar, comprovar e assegurar que somos nós mesmos. Para abrir uma empresa no Brasil então....e fazer uma alteração ou transferência de imóvel? Haja paciência.

 

E de doer o coração ver uma fila de hospital público. A vontade é de recolher as pessoas levar direto ao médico de convênio particular. A imagem é muito dura e acerta em cheio nossa comoção.

 

Governantes eleitos, atenção a burocracia que persegue os brasileiros. Muitos problemas podem ser evitados se o grau de exigência for diminuído.

 

Salve a interação social.

 

Desabafo.



Escrito por Jairo Vieira às 14h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



Eragon       

 

Minhas considerações: Não sei se gostei, ou não.

 

Poucas vezes sai do cinema com a sensação de (...). Para fazer o leitor tentar entender: (...) é aquela sensação de vazio, dúvida, incerteza.

 

Quando o filme acabou não conseguia distinguir se aquilo seria um filme lembrado daqui alguns anos, ou se era apenas uma produção corriqueira e passageira. E o pior de tudo é que ainda hoje, sinto o (...)

 

Não sou indeciso, pelo contrário. Sou crítico a ponto de reclamar dos menores detalhes de um filme. Mas no caso desse filme ainda assistindo de novo, não sei se merece nota 6, 10..0..

 

Foi então que me lembrei que algo parecido ocorreu em outra trilogia: O Senhor dos Anéis. Essa analogia sim me ajudou a entender algumas coisas. Quando vi o primeiro dos três filmes, minha sensação foi parecida (...) total. Mas no segundo a coisa ficou melhor. O terceiro superou os antecessores.

 

Esses diretores são bem imprevisíveis. Tentam nos passar a sensação de (...) o suficiente para assistirmos o segundo, o terceiro para enfim formar uma opinião...

 

Coisa maluca...



Escrito por Jairo Vieira às 16h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



Sempre Igual

 

Não consigo mais assistir aos telejornais.

 

Ou o mundo está repetitivo demais, ou a pauta do informativo bem que poderia ser diferente.

 

Dois apresentadores, um repórter, uma matéria narrada e apresentada pelo mesmo repórter com posse de um microfone com o logotipo da emissora.

 

Não quero ser revolucionário nem nada. Mas o que precisamos para fazer um jornalismo esteticamente diferente?

 

Se a TV digital promete mudanças, está ai uma sugestão.



Escrito por Jairo Vieira às 17h16
[ ] [ envie esta mensagem ]



Mudar?

 

O ano começa, mas vejo que nada muda realmente.

 

Afinal o que é a definição ano novo, além de mais um número contabilizado?

 

Não pense que sou contra as comemorações, nada disso e muito pelo contrário. O que pretendo ilustrar é que mais do que uma mudança no calendário, à passagem de ano é um fio de esperança e renovação.

 

Imaginem se não houvesse um momento (que no caso é determinado por um período de tempo que chamamos de ano) para refletir e pensar: “Puxa, acabou uma fase e começa outra”. Pensem no que aconteceria se os dias fossem passando sem contagem alguma...

 

Com certeza seríamos engolidos pelo dia-a-dia e não haveria espaço para parar, pensar e sonhar.

 

Mesmo que os sonhos não se realizem, o exercício de sonhar é o primeiro passo para um futuro novo, mesmo que o novo seja apenas diferente do cotidiano presente.

 

Mudamos muito mais quando paramos sonhamos e refletimos.

Mudamos muito menos quando viramos a folha do calendário e concluímos que o ano é impar, que 7 dá sorte, que o ano é o 8º do novo milênio, que blá blá blá....



Escrito por Jairo Vieira às 15h51
[ ] [ envie esta mensagem ]



Feliz 2007!

Que o ano seja excelente para todos nós!

Abraços!

 



Escrito por Jairo Vieira às 15h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



Prefiro As Perspectivas

 

Não existe outro assunto no final de ano que não se refira as retrospectivas.

 

Vá lá, elas são muito importantes principalmente quando revemos nossos erros e aprendemos com eles. Mas penso que não vale a pena exagerar na dose. Ainda mais quando essa dose faz questão de destacar as tragédias cotidianas ou fofocas alheias.

 

Acho que seria muito mais proveitoso começar a olhar para frente. Por que não tentamos fazer um voto ao futuro ao invés de rever o passado a todo o momento?

 

Por que não Perspectivas em lugar das Retrospectivas?

 

Sem falar que isso tudo é muito chato...repetição na TV, Jornais, Internet...

 

Falemos sobre o inesperado, o inédito!



Escrito por Jairo Vieira às 14h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



De Um Cidadão Paulista

 

"Apaziguando a mente vou caminhando pelas curvas sinuosas do pensamento. A cada inclinação uma idéia diferente. A reta de chegada será a solução para mais um dos corriqueiros problemas de trabalho.

 

O fato é que moro numa cidade grande, onde quando não existe nada de excepcional (coisa rara) a natureza se ocupa de criá-lo. Assim num passe de mágica minha mente se esquece das curvas profissionais e desperta para o trovão que vem do céu.

 

Agora não consigo parar no sinal vermelho. O trovão é o início de um triste fim de tarde. Mais uma vez vai chover na minha cidade.

 

Minha mãe sempre disse que comer bastante peixe é bom para a inteligência. E haja inteligência para buscar caminhos alternativos no trânsito embaixo de muita água. Quisera eu que apreciando o fruto do mar também pudesse assumir algumas de suas habilidades aquáticas.

 

Como não me imaginar nadando se meu carro está até a janela de água? Como sentir-me seguro se ao caminhar para meu salvamento a lama pode me contaminar com doenças? Como ficar tranqüilo em meu trabalho esperando o temporal, se um CET pode me multar pelo fato de ser meu “rodízio”?

 

Essa ainda é a melhor parte. Tenho que agradecer muito se ao chegar em casa, enfim puder encontrar minha casa ainda em pé, e minha família a salvo..

 

Mas tudo bem. Daqui a pouco o mês de Novembro vai terminar, vamos recolher o que sobrou e organizar nossas ruas...Assim tudo estará certo para que numa próxima eleição qualquer nossos candidatos e representantes possam novamente aparecer e apresentar super-soluções para nosso cotidiano urbano."



Escrito por Jairo Vieira às 19h34
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]